10/03/2021

BATATA/CEPEA: Março se inicia com alta nos preços do tubérculo

Avanço da pandemia e problemas de qualidade impedem valorização ainda maior

Por Luana Chiminasso, Victória Brito de Ceni e João Paulo Deleo
Em parceria com
FMC
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BATATA/CEPEA: Março se inicia com alta nos preços do tubérculoVer fotos

Piracicaba, 10 – Na parcial de março (1° a 09/03), os preços da batata lavada tipo ágata estão em R$ 91,82 (ponderado pela classificação) na média das lavadoras do País, valor 5,7% acima dos de fevereiro/21 – que ficaram em R$ 86,87 (também ponderado pela classificação). A alta em relação ao mês passado se deve, novamente, às chuvas no começo deste, que limitaram a colheita em algumas regiões, como Guarapuava (PR) e Água Doce (SC).

A desaceleração da oferta de batata frente a fevereiro também contribuiu para este cenário – estima-se, para março, área 6% menor. Isso porque, apesar de as regiões do Triângulo Mineiro, Chapada Diamantina (BA) e Água Doce (SC) intensificarem suas colheitas, Sul de Minas e Guarapuava (PR) devem reduzir as atividades no período.

Uma maior alta nos preços, porém, é limitada pela demanda mais lenta, após as novas restrições impostas pela pandemia em diversos estados brasileiros e por problemas na qualidade em parte das batatas ofertadas, devido à requeima, canela-preta e lenticelose. Apesar disso, a previsão é que, na média, os preços sigam em patamares acima dos custos de produção até o final da safra.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Cepea, clima, colheita de batata, demanda, HF Brasil, mercado de batata, oferta de batata, perspectivas para o mercado de batata, preços de batata, produção de batata, qualidade

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui