02/10/2019

ALFACE/CEPEA: Setembro se encerra com baixa rentabilidade em MG

Condições climáticas estão entre os motivos

Por Isabela Camargo, Maria Julia Ramos e Marina Marangon
Em parceria com
YARA
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
ALFACE/CEPEA: Setembro se encerra com baixa rentabilidade em MGVer fotos

Piracicaba, 02 – Com o recuo das cotações e a baixa procura por alface, produtores mineiros se depararam com menores remunerações no decorrer de setembro. Concomitantemente, a região de Mário Campos (MG) vem sofrendo com os baixos índices pluviométricos desde agosto, cenário que resultou em menor qualidade das alfaces ofertadas e maiores gastos (tanto com irrigações, quanto com manejo aplicado) no mês passado.

Diante disso, os custos permaneceram superiores aos valores de venda, resultando em rentabilidade negativa para os produtores: o preço médio da crespa, em setembro, foi de R$ 6,40/cx com 20 unidades. Os valores de custo, por sua vez, se encerraram em R$ 10,60/cx com 20 unidades, refletindo em rentabilidade 39,62% negativa.

A expectativa para outubro, porém, é de melhores resultados, já que as chuvas devem se regularizar – melhorando a qualidade e a produtividade da cultura – e a procura deve voltar a se aquecer, devido ao clima mais quente. Quanto aos valores de custo, também devem se reduzir, já que as atividades de manejo e fitossanidades não serão mais entraves à produção.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: alface, Cepea, clima, cotação, oferta de alface, perspectivas, preços de alface, produção de alface, produtividade, qualidade das alfaces, rentabilidade

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui