09/04/2021

MELANCIA/CEPEA: Com escoamento difícil, cotações recuam nas roças e no atacado

Valores ainda são remuneradores ao produtor

Por Lucas de Mora Bezerra e Fernanda Geraldini
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MELANCIA/CEPEA: Com escoamento difícil, cotações recuam nas roças e no atacadoVer fotos

Piracicaba, 09 - Com demanda em baixa, os preços da melancia caíram, tanto no atacado quanto nas roças nesta semana (05 a 09/04). Na Ceagesp, a fruta graúda (>12 kg) foi cotada, em média, a R$ 1,61/kg, recuo de 12,8% frente à semana anterior. Em Teixeira de Freitas (BA), a de mesmo calibre foi vendida por R$ 0,95/kg (-17,1%), enquanto nas lavouras de SP o valor de comercialização ficou em R$ 1,00/kg (-4%).

Segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, apesar da queda nos preços, a oferta de melancia continuou restrita nas regiões produtoras, o que ainda garantiu valores remuneradores ao melancicultor. No geral, pesou sobre as cotações a dificuldade de comercialização, diante das restrições impostas pela pandemia. Para as próximas semanas, o cenário não deve ser tão diferente, com o agravante das previsões de chegada de uma frente fria ao Sudeste na segunda-feira, o que pode impactar negativamente o consumo da fruta.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: atacado, bahia, Ceagesp, coronavírus, cotação, covid-19, demanda, itápolis, marilia, melancia, oferta, oscar bressane, pandemia, preço, Presidente Prudente, teixeira de freitas

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui