07/10/2021

HORTIFRUTI/CEPEA: Refeições à base de vegetais, enfim, conquistam até quem come carne!

Flexitarianos chamam a atenção do mercado plant-based

Por Caroline Ribeiro
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
HORTIFRUTI/CEPEA: Refeições à base de vegetais, enfim, conquistam até quem come carne!Ver fotos

Piracicaba, 07 – As refeições à base de vegetais (plant-based) vieram para ficar! Isso porque, a cada ano, mais e mais pessoas têm alterado seu estilo de vida, se adequando a uma alimentação com menos (ou nenhuma) proteína animal. Conforme estudo do The Good Food Institute (GFI) em parceria com o Ibope, que avaliou a evolução deste mercado no Brasil, bem como as demandas dos consumidores da categoria, metade da população entrevistada afirmou ter reduzido o consumo de proteína animal em 2020 – sendo que 47% destas substituições são feitas exclusivamente por legumes, verduras e grãos.

A pesquisa mostrou, ainda, que 39% dos entrevistados buscaram substituir as refeições de origem animal pelas vegetais ao menos três vezes por semana no período. O resultado é bastante superior ao do levantamento realizado em 2018, quando somente 29% dos respondentes afirmaram ter substituído suas refeições por proteínas alternativas, deixando evidente o crescimento e a importância do flexitarianismo (redução do consumo de produtos de origem animal, mas sem interrupção completa) para esta categoria.

E essa substituição por proteínas alternativas se dá, principalmente, nas refeições preparadas em casaato que ganhou força em meio à pandemia –, atrelada à maior preocupação com a saudabilidade. Mas, conforme o levantamento, o consumidor brasileiro quer mais: espera que haja aumento de opções de alimentos à base de vegetais voltadas ao dia a dia e para lanches rápidos, a preços competitivos na categoria e entregando aspectos nutricionais semelhantes ou superiores aos dos produtos convencionais.

Conforme a Specialty Food Association (SFA), dos Estados Unidos, a pandemia colaborou para que muitos intensificassem a alimentação à base de vegetais e, assim, mais marcas já têm ofertado produtos da categoria, buscando se assemelhar à proteína animal em termos de textura, sabor e de cheiro. E, neste cenário, os HFs só têm a ganhar ainda mais espaço!

Fonte: The Good Food Institute e Specialty Food Association

Tags: alimentos à base de vegetais, Cepea, consumo de alimentos de origem vegetal, consumo de legumes, consumo de verduras, flexitarianos, HF Brasil, plant-based, plant-based no Brasil, substituição da proteína animal

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui