12/03/2021

CITROS/CEPEA: Com baixa oferta, preços da pera se elevam em SP

Tahiti acumula queda de 22,3% na semana

Por Isabela Camargo, Caroline Ribeiro e Fernanda Geraldini
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
CITROS/CEPEA: Com baixa oferta, preços da pera se elevam em SPVer fotos

Piracicaba, 12 A demanda por laranja foi limitada nesta semana. De acordo com produtores, o retorno para a fase vermelha no estado de São Paulo e a consequente diminuição de algumas atividades têm reduzido a procura pela fruta. Ao mesmo tempo, as novas restrições têm limitando a disponibilidade de mão de obra e, consequentemente, o ritmo de colheita e das operações logísticas. Além disso, as chuvas da semana passada também restringiram as atividades de campo. Desse modo, a oferta de laranjas está menor e, agora, muitos aguardam o amadurecimento das variedades precoces para comercialização.

Nesta semana (08 a 12/03), a pera foi comercializada na média de R$ 38,82/cx de 40,8 kg, na árvore, alta de 1,9% frente à do período anterior. Algumas variedades precoces com maturação mais adiantada, como a rubi, já estão sendo vendidas ao redor de R$ 35,00/cx de 40,8 kg, e a hamlin, por volta de R$ 38,00/cx de 40,8 kg. A perspectiva é de que o estágio de maturação demandado pelo mercado in natura seja atingido, no caso das variedades precoces, entre abril e maio.

Para a lima ácida tahiti, a maior oferta já pressionou os valores. Na média semanal, a fruta foi negociada a R$ 23,58/cx de 27 kg, colhida, baixa de 22,3% em relação ao período anterior. 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: citros, coronavírus, cotação, covid-19, demanda, isolamento, laranja, lima ácida tahiti, limão, oferta, preço, restrição, tahiti, vendas

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui