13/07/2020

BATATA/CEPEA: Regiões paulistas estão em plena safra

Preços podem cair nas próximas semanas?

Por Juliana Acácio Toledo Parede, Luana Guerreiro e João Paulo Deleo
Em parceria com
FMC
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BATATA/CEPEA: Regiões paulistas estão em plena safraVer fotos

Piracicaba, 13 – A colheita da safra das secas de batata se iniciou em junho no Sudoeste Paulista (SP). Devido ao cenário de bons preços, a oferta da região se adiantou, uma vez que alguns produtores optaram por destinar os tubérculos das primeiras lavouras ao mercado – os quais, normalmente, são armazenados para semente.

Quanto ao desenvolvimento, foi favorecido pelo clima mais seco. No entanto, houve incidência de vaquinha, principalmente entre os meses de fevereiro e março – as temperaturas mais amenas posteriormente, contudo, beneficiaram tais questões fitossanitárias nas lavouras locais.

Há cerca de três semanas, algumas roças também já começaram a ser colhidas em Vargem Grande do Sul (SP). O plantio na região ocorreu no período usual, porém, houve antecipação do ciclo em algumas lavouras (dessecamento com 75 a 80 dias) – ainda na tentativa de aproveitar os bons preços do tubérculo.

Ambas as praças devem apresentar boas produtividades, devido ao clima mais seco e ameno dos últimos meses, o qual favoreceu o desenvolvimento das plantas. Quanto aos preços médios, ponderados por classificação, foram de R$ 102,31/sc no Sudoeste Paulista em junho e de R$ 73,44/sc na parcial de julho (até o dia 08/07), enquanto em Vargem Grande do Sul está em R$ 73,07/sc na parcial deste mês. A tendência para as próximas semanas é de queda nos preços, uma vez que a oferta deve se intensificar ainda mais.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: batata, Cepea, colheita de batata em SP, cotação de batata, oferta de batata, preços de batata, produção de batata, safra das secas de batata

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui