12/03/2021

UVA/CEPEA: Com maiores restrições, vendas são lentas no mercado

Nas centrais atacadistas, circulação de pessoas diminui

Por Bárbara Castilha e Fernanda Geraldini
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
UVA/CEPEA: Com maiores restrições, vendas são lentas no mercadoVer fotos

Piracicaba, 12 - Nesta semana (08 a 12/03), a comercialização da uva foi mais fraca nas roças e atacados em todo o País. Com o agravamento da pandemia de covid-19, maior rigor nas recomendações de isolamento social e o aumento das restrições nos horários de funcionamento, houve dificuldade na compra e venda das bagas. Nas centrais atacadistas, especialmente em São Paulo, o volume de pessoas circulando foi menor. Mesmo com a oferta no mercado sendo baixa e os preços conseguindo se manter em alta, o número de vendas ficou aquém do esperado. A itália fechou em R$ 7,40/kg na Ceasa em Campinas (SP) e R$ 6,95/kg na Ceagesp em São Paulo, aumento de 9,4% e 6,2%, frente à semana passada.

Nas regiões produtoras, o cenário foi ainda mais difícil; o escoamento da uva foi reduzido, mas as cotações, no geral, recuaram. Os preços da itália na roça ficaram em R$ 4,26/kg no Vale do São Francisco (PE/BA), R$ 4,50/kg em São Miguel Arcanjo (SP) e R$ 4,63/kg em Pilar do Sul (SP), baixas respectivas de 10,6%, 5,3% e 4,3% frente à semana anterior.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: coronavírus, cotação, covid-19, demanda, escoamento, itália, mercado doméstico, oferta, preço, uva, vendas

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui