15/05/2020

TOMATE/CEPEA: Safra de inverno se intensifica e preços recuam

Medidas restritivas devido a pandemia prejudicam a comercialização de tomate

Por Raquel Moreira Sabelli, Juliana Acácio Toledo Parede e João Paulo Bernardes Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
TOMATE/CEPEA: Safra de inverno se intensifica e preços recuamVer fotos

Piracicaba, 15 - Nesta semana (11 a 15/05), os preços do tomate salada longa vida 3A foram mais baixos: a caixa de 18-20 kg foi comercializada a R$ 52,44 (-11,2%) na Ceagesp, a R$ 60,20 (-14,44%) no Rio de Janeiro (RJ), a R$ 50,44 (-22,82%) em Belo Horizonte (MG) e a R$ 65,42 (-3,6%) em Campinas (SP). A oferta do fruto vem aumentando com a intensificação da colheita da safra de inverno, embora ainda não seja alta, sendo o principal fator para a queda das cotações. Além disso, novas medidas restritivas em algumas localidades devido à pandemia prejudicam ainda mais as vendas, o que também contribui para a desvalorização: Na capital fluminense, há restrição de circulação de pessoas em determinados bairros – tal medida tem o prazo de sete dias, contados a partir da terça-feira (12). Em SP é o rodízio de veículos que tem prejudicado o escoamento. Segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, devido à dificuldade de comercialização, alguns produtores têm buscado vender a produção diretamente ao varejo, encurtando a cadeia de comercialização.

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: alta, comercialização, coronavírus, cotação, covid-19, desvalorização, fruto, intensificação, maturação, medida restritiva, negociação, oferta, pandemia, preço, quarentena, safra de inverno, safra de verão, solanácea, temperatura, tomate, valor, variação

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui