17/08/2018

TOMATE/CEPEA: Maior oferta de produtos manchados pressiona cotações

Expectativa é de melhora na qualidade do tomate

Por Luana Guerreiro, Lenise A. Molena e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
TOMATE/CEPEA: Maior oferta de produtos manchados pressiona cotaçõesVer fotos

Piracicaba, 17 - Nesta semana (13 a 17/08) o tomate salada longa vida se desvalorizou na Ceagesp, onde o 2A e o 3A foram comercializados a R$ 17,22/cx de 20 kg (-10,58%) e a R$ 32,73/cx (-7,81%), respectivamente. Nesse período, na maioria das regiões, haviam muitos produtos de qualidade inferior – manchados (como em Mogi Guaçu/SP, Paty do Alferes, São José de Ubá/RJ e Sul de Minas) ou com acidez (de locais do Espírito Santo). Com esses problemas, o tomate perdeu valor no mercado, o que contribuiu para a desvalorização. Alguns produtores tiveram até que descartar parte de seus produtos – como em Mogi Guaçu e Paty do Alferes. O volume ofertado começou a se reduzir mais a partir de quinta-feira, 16, e as cotações começaram a reagir. Em Araguari (MG) o tomate salada longa vida 2A foi vendido a R$ 15,60/cx na segunda-feira (13) e, na quinta (16), os produtores estavam pedindo até R$ 25,00/cx. Assim, caso as temperaturas continuem mais baixas nas próximas semanas e tomates mais novos e com boa qualidade sejam comercializados, as cotações podem subir. 

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Ceagesp, ceasa, chuva, clima, custos, desvalorização, fruto, maturação, preço, produção, produtividade, produtor, qualidade, solanácea, tomate, tomaticultor, valorização

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui