03/07/2018

ESPECIAL HORTALIÇAS: Custo de produção de tomate em Caçador (SC)

Custos da região são calculados pelo sétimo ano consecutivo

Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
ESPECIAL HORTALIÇAS: Custo de produção de tomate em Caçador (SC)Ver fotos

Piracicaba, 03 – Este foi o sétimo ano consecutivo em que a Hortifruti Brasil levantou os custos de produção de tomate de mesa na região de Caçador (SC), em duas escalas de produção: pequena e grande. As reuniões ocorreram em 3 de maio de 2018.

A safra analisada é a de verão 2017/18, já consolidada, sendo apresentado novamente os custos referentes à safra 2016/17, para efeito de comparação. O produtor típico de pequena escala de produção se mantém com área de cultivo com tomate de 1,8 hectare (terra própria) e adensamento de 8,5 mil plantas/ha.

A produtividade comercializada por área recuou 7,9% em 2017/18 frente à 2016/17, devido a problemas com doenças e pragas. Em média, estima-se que tenham sido colhidas 2.975 caixas/ ha ou 350 caixas/mil pés. Problemas relacionados à produtividade ocorreram em ambas as safras, mas foram maiores na 2017/18.

Além disso, na temporada 2016/17, nem tudo o que foi produzido foi comercializado, em decorrência do excesso de oferta no mercado nacional. Houve recuo de 2,2% no custo de implantação da estrutura de tutoramento do tomate na temporada 2017/18 frente à anterior, passando para R$ 5.846,36/ha. O recuo dos preços está relacionado às alterações na estrutura de tutoramento, como a substituição dos bambus por taquara, que é mais barata.

Houve uma importante alteração no levantamento deste Painel, frente aos anteriores, na forma de contratação da mão de obra. Antes, parte da mão de obra era permanente, ao passo que, agora, é um contrato temporário para a colheita, fator que reduziu para mais da metade as despesas com este serviço para essa escala de produção. A mudança se deve ao fato de os participantes do Painel indicarem que esta é a forma atual de contrato de mão de obra. Essa contração extra é para a colheita e, nas demais atividades, é a família que cuida da lavoura (e o valor da mão de obra familiar foi contabilizado no pró-labore).

Para conferir o estudo completo e as tabelas de custos de produção desta região, acesse a edição de junho da Hortifruti Brasil, clicando aqui.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: custos de produção de tomate, custos de tomate, produção de tomate, produtividade, safra de verão 2017/18, tomate, tomate em Caçador

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui