30/05/2018

ALFACE/CEPEA: Maio se encerra sem cotações na região paulista

Paralisação gerou descarte de parte da mercadoria

Por Isabela Camargo, Lívia Rebeca Luz e Marina Marangon
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
ALFACE/CEPEA: Maio se encerra sem cotações na região paulistaVer fotos

Piracicaba, 30 - Nesta semana (28 a 30/05), as vendas de alface nas regiões de Ibiúna e Mogi das Cruzes (SP) continuaram prejudicadas, com a continuidade da paralisação dos caminhoneiros. Com os bloqueios dos caminhões nas estradas, muitos produtores não conseguiram comercializar as alfaces. A região de Ibiúna foi a mais afetada: muita mercadoria foi perdida durante o caminho e o trajeto estava mais arriscado – o que impossibilitou a chegada da folhosa a seu destino.

Além disso, não houve escoamento de produto pela dificuldade de transporte, o que impossibilitou a formação das cotações das alfaces. Como resultado, muita mercadoria ficou retida nas roças e a colheita foi atrasada, gerando problemas na qualidade (passaram do ponto). Em Mogi das Cruzes, produtores já descartaram parte da produção devido à dificuldade de comercialização. Produtores paulistas que conseguiram escoar alface nesta semana não dependiam de transporte e abasteceram somente a demanda local.

Porém, mesmo com a demanda local, o feriado de quinta-feira (31/05), pode afetar ainda mais as vendas e a procura por folhosas. Como perspectiva para a próxima semana (04 a 08/05), produtores relataram que as vendas podem começar a se normalizar, se a greve não se prorrogar por mais dias, melhorando também o transporte das mercadorias.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: alface, cotação, greve, paralisação, preço

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui