22/05/2019

UVA/CEPEA: Finas e rústicas se desvalorizam em maio

Baixa rotatividade desanima comerciantes e viticultores

Por Laís Marcomini, Fernanda Geraldini e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
UVA/CEPEA: Finas e rústicas se desvalorizam em maioVer fotos

Piracicaba, 22 – O volume de uvas comercializado no mês de maio ficou aquém do esperado por colaboradores do Hortifruti/Cepea, tanto nas roças quanto no atacado. O mercado fraco deixou as cotações em menor patamar e diminuiu a quantidade de pedidos realizados pelos comerciantes de centrais atacadistas – que, em algumas semanas, registraram elevado nível de estoques.

De modo geral, acredita-se que a restrição orçamentária, a concorrência com outras frutas e as condições climáticas (frio) em algumas praças consumidoras dificultaram o escoamento. Outro destaque fica para as uvas importadas: a positiva aceitação do mercado e o bom custo-benefício acirraram a competição com a uva nacional.

Neste cenário, mesmo freando a colheita, produtores não escaparam dos preços mais baixos. Na média das principais regiões produtoras (até o dia 17), os preços da itália estavam em R$ 2,82/kg, queda de 18% em relação a abril. Para a BRS vitória, a desvalorização foi de 16,4%. Já a arra 15 fechou em R$ 5,90/kg – 1% mais barata que no mês passado e 14% menor em relação a maio de 2018. A uva rústica também se desvalorizou no período: comercializada, na média, a R$ 3,48/kg, a niagara teve preço 14% inferior na parcial de maio.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Cepea, clima, cotação de uva, oferta de uva, preços de uva, uva, uva fina, uva rústica, vendas de uva

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui