06/06/2019

TOMATE/CEPEA: Preços do tomate rasteiro para mesa se elevam em Irecê (BA)

Traça continua causando problemas na região baiana

Por Lenise Molena, Luana Guerreiro, Raquel Sabelli e João Paulo Deleo
Em parceria com
FMC
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
TOMATE/CEPEA: Preços do tomate rasteiro para mesa se elevam em Irecê (BA)Ver fotos

Piracicaba, 06 – O tomate rasteiro para mesa, cultivado em Irecê (BA), foi comercializado, entre março e maio deste ano, a R$ 68,53/cx de 30 kg, alta de 176% frente a 2018 (quando foi negociado a R$ 24,82/cx). De acordo com agentes do setor, este cenário reflete a menor oferta de frutos na região.

Com a elevada incidência de traça, os produtores estão com dificuldades na produção: a produtividade está entre 200 a 250 cxs/mil pés, valores considerados baixos, se comparados às 300 cxs/mil pés que a maioria colhe normalmente. Diante disso, alguns tomaticultores têm migrado para outras culturas, como a cebola – fato confirmado pelas revendas, as quais comercializaram menos sementes.

Apesar de cultivarem o ano todo, os produtores locais não acreditam que possa haver uma compensação de área nos demais meses deste ano.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: área de tomate, Cepea, cotação de tomate rasteiro, preços de tomate, produção de tomate, produtividade, tomate, tomate rasteiro em Irecê, traça em tomate

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui