01/02/2019

TOMATE/CEPEA: Mesmo com alta no atacado, preço segue abaixo do custo

Parte da produção colhida é descartada devido aos baixos preços

Por Luana Guerreiro, Lenise A. Molena e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
TOMATE/CEPEA: Mesmo com alta no atacado, preço segue abaixo do custoVer fotos

Piracicaba, 01 - Nesta semana (28/01 a 1º/02) o tomate salada longa vida 2A e 3A se valorizou na Ceagesp, onde foram vendidos a R$ 18,57/cx de 20 kg (+17,91%) e a R$ 40,64/cx (+7,54%), respectivamente. Apesar da alta, os preços recebidos pelos produtores se mantêm abaixo dos custos de produção já há duas semanas. Isso está relacionado ao grande volume de tomates já ofertados, aliado aos descartes – como em Caçador (SC) e Itapeva (SP). Na praça paulista, o produto está em sua maioria miúdo e manchado. De acordo com colaboradores do Hortifruti/Cepea, parte dos frutos (de Itapeva) com qualidade inferior que chega aos barracões, embora esteja apta ao consumo, é descartada, pois o preço recebido por esse tipo de produto não paga os custos de comercialização. Até mesmo enviar para indústrias de processamento não compensa o valor recebido por tonelada, uma vez que se iguala ao frete. Nesta sexta-feira (1º/02) a entrada nos atacados foi menor e, com isso, os preços atingiram R$ 55,00/cx (3A), porém mesmo assim ainda há muito produto abaixo da qualidade – manchado, pequeno e muito maduro.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: atacado, calor, Ceagesp, ceasa, cotação, desvalorização, fruto, maturação, oferta, preço, qualidade, tomate

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui