30/12/2020

RETROSPECTIVA 2020: Tomate

Como esteve o mercado da cultura neste ano?

Por Juliana A. T. Parede, Luana Chiminasso, Felipe S. Wohnrath, Raquel M. Sabelli e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
RETROSPECTIVA 2020: TomateVer fotos

Piracicaba, 30 – A área se reduziu 5,3% entre 2019 e 2020, influenciada pela baixa de 9,2% no plantio de tomate de mesa, sobretudo no 2º semestre. Esse cenário deixou as cotações acima dos custos na maior parte do ano.

A redução na área de mesa aconteceu em todas as safras, o que já havia sido previsto antes da pandemia. Porém, com a acentuada queda na demanda no início da quarentena, produtores, principalmente da safra de inverno, reduziram o semeio ainda mais entre março e junho.

De janeiro a maio, as cotações estavam acima dos custos; no entanto, com a redução da procura e a aceleração da safra de inverno (em junho e julho), a rentabilidade foi negativa no período – no meio do ano, a área colhida ainda foi referente aos plantios pré-quarentena. A partir de agosto, os preços voltaram a reagir, devido à menor oferta.

Para conferir os detalhes quanto ao mercado de tomate em 2020 e as perspectivas para 2021, acesse o Anuário 2020-2021 da revista Hortifruti Brasil.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Anuário 2020-2021, área de tomate, Cepea, HF Brasil, mercado de tomate, oferta de tomate, retrospectiva do mercado de tomate em 2020

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui