18/09/2020

TOMATE/CEPEA: Preços estão 23% mais altos na parcial de setembro

Aumento das temperaturas pode resultar em maior oferta nos próximos dias

Por Raquel Moreira Sabelli, Juliana Acácio Toledo Parede e João Paulo Bernardes Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
TOMATE/CEPEA: Preços estão 23% mais altos na parcial de setembroVer fotos

Piracicaba, 18 - Entre os dias 14 e 18/09, as cotações do tomate salada longa vida 3A, caixa de 18-20 kg, ficaram em R$ 56,22 (+9,60%) na Ceagesp, em R$63,64 (+8,65%) em Campinas/SP, em R$ 51,46 (-10,62%) no Rio de Janeiro/RJ e em R$ 46,90 (-2,72%) em Belo Horizonte/MG. Apesar de, no geral, a maturação dos frutos estar acelerada devido às altas temperaturas, a oferta não foi tão grande. Alguns fatores explicam a disponibilidade ainda controlada: acentuada redução nos plantios das áreas que estão sendo colhidas; Paty de Alferes (RJ) iniciou a segunda parte na safra de inverno, mas o ritmo de colheita ainda está lento, e as regiões de São José de Ubá (RJ) e Mogi Guaçu (SP) já desaceleram o ritmo da temporada. Por isso, o preço ponderado por classificação nas lavouras, na parcial de setembro (1° a 17/09), ficou em R$ 46,34, alta de 23% em relação a agosto. Apesar do bom resultado até o momento, é possível que até o final do mês ainda haja uma elevação da oferta de tomate diante das temperaturas mais altas, fazendo com que muitas lavouras adiantem bastante o ciclo de produção.

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: atacado, Belo Horizonte, calor, Campinas, Ceagesp, ceasa, colheita, cotação, desvalorização, fruto, maturação, oferta, preço, rentabilidade, rio de janeiro, safra, São Paulo, temperatura, tomate, valor, valorização

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui