23/08/2019

BATATA/CEPEA: Mesmo com recuo, preço se mantém em altos patamares

Para a próxima semana pode haver nova desvalorização

Por Luana Guerreiro, Lenise A. Molena e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BATATA/CEPEA: Mesmo com recuo, preço se mantém em altos patamaresVer fotos

Piracicaba, 23 - Nesta penúltima semana de agosto (19 a 23/08) a batata padrão ágata especial se desvalorizou. A maior queda foi no atacado carioca: R$ 106,77/sc de 50 kg (-15,37%), seguido pelos mercados de Belo Horizonte (MG) e São Paulo (SP): R$ 105,98/sc (-12,05%) e R$ 120,36/sc (-9,49%), respectivamente. O motivodo recuo é a intensificação da safra de inverno aliada à elevada produtividade em locais como Vargem Grande do Sul (SP). A queda poderia ser maior caso todos os produtores estivessem colhendo, no entanto, muitos deles – do Sudoeste Paulista e Cristalina (GO), por exemplo – estão em intervalo. Houve, também, maior oferta de batata asterix – proveniente principalmente de regiões mineiras, como Bom Repouso e Senador Amaral, além de Vargem Grande do Sul, de acordo com os colaboradores do Hortifruti/Cepea. No Rio de Janeiro (RJ), esta variedade foi negociada por R$ 121,30/sc (-33,23%: é a maior queda entre os atacados acompanhados). Apesar de os valores serem históricos para o período (considerando o mês de agosto, são os maiores desde 2004), a tendência para as próximas semanas é de novas quedas nas cotações, pois a safra de inverno deve se intensificar ainda mais.

 

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: atacado, batata, Belo Horizinte, Ceagesp, ceasa, cotação, cristalina, desvalorização, intensificação, preço, produtividade, qualidade, rio de janeiro, safra de inverno, salanácea, São Paulo, sudoeste paulista, tubérculo, valor, vargem grande do sul

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui