15/01/2019

MELÃO/CEPEA: Frio pode desestimular consumo na União Europeia

Países da América Central iniciam os primeiros embarques ao bloco

Por Ana Raquel Mendes e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MELÃO/CEPEA: Frio pode desestimular consumo na União EuropeiaVer fotos

Piracicaba, 15 – Com a proximidade do fim da safra 2018/19, as exportações brasileiras de melão devem se reduzir gradualmente em janeiro, já que a demanda internacional, principalmente por parte da União Europeia, deve se enfraquecer no período. Na Europa, o clima mais frio pode desestimular o consumo da fruta – considerada refrescante.

Outro ponto a ser considerado é que a maior parte dos melões brasileiros exportados é da variedade amarelo. No entanto, de acordo com notícia veiculada pelo Fresh Plaza, há uma maior procura pelo cantaloupe harper na Europa – fazendo com que importadores recorram às frutas de outros países, como Honduras (que se concentra na produção desta variedade).

Além disso, a Costa Rica também antecipou sua entrada no bloco europeu. Em fevereiro, além dos países da América Central, a Itália deve iniciar sua temporada, restringindo maiores vendas do melão brasileiro.

Vale lembrar que a safra 2018/19, iniciada em agosto/18, começou com um ritmo mais lento, devido ao atraso da campanha espanhola. Assim, a entrada da fruta brasileira coincidiu com o cenário de alta oferta, o que também pressionou as cotações no mercado internacional.

A recuperação veio apenas em dezembro/18, quando os envios atingiram patamares de 39 mil toneladas e de US$ 26 milhões, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Fonte: hfbrasil.org.br e Fresh Plaza

Tags: Cepea, consumo de frutas na Europa, demanda por melão na UE, exportações de melão, frutas brasileiras, melão, mercado internacional, safra 2018/19 de melão

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui