29/03/2019

MELANCIA/CEPEA: Qualidade e preços baixos seguem preocupando produtores paulistas

Safrinha pode ter baixos resultados em 2019

Por Laleska Moda e Fernanda Geraldini
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MELANCIA/CEPEA: Qualidade e preços baixos seguem preocupando produtores paulistasVer fotos

Piracicaba, 29- Os preços da melancia em São Paulo seguiram mais uma semana em queda, pressionadas pela demanda enfraquecida e elevada oferta no estado e na Bahia. Nas roças paulistas, entretanto, melancicultores estão preocupados com os resultados da safrinha de 2019. Isso porque, os preços têm permanecido em baixos níveis por boa parte da colheita, o que pode restringir a rentabilidade neste ano, segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea. Apenas nesta semana, a melancia graúda (>12 kg) foi comercializada a R$ 0,35/kg, recuo de 9,1% frente à semana anterior.

Além das menores cotações, a qualidade dos frutos paulista também é um agravante na safrinha: as adversidades climáticas ocorridas desde janeiro levaram a incidência de doenças, em especial a virose, levando a perdas nas lavouras – principalmente em Itápolis (SP) –  e obrigando produtores a elevarem as pulverizações nas últimas semanas, refletindo em maiores gastos. Além disso, o clima também levou a problemas de formação e, com as perdas, à menor produtividade em algumas roças, limitando ainda mais a rentabilidade. Em contrapartida com o cenário mais pessimista, a expectativa é de leve melhora nos preços para as próximas semanas. Além da diminuição do ritmo de colheita em Marília/Oscar Bressane e Presidente Prudente (SP), há expectativa de menor produtividade em Itápolis para abril, o que poderia limitar o volume ofertado de frutas, reduzindo a pressão sobre as cotações. 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: demanda, HF Brasil, itápolis, Marília/Oscar Bressane, melancia, oferta, preço, qualidade, rentabilidade, São Paulo

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui