11/09/2018

MANGA/CEPEA: Peru vê diversificação como alternativa

Kent pode perder espaço nos próximos anos

Por Gabriel Pacheco e Fernanda Geraldini
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MANGA/CEPEA: Peru vê diversificação como alternativaVer fotos

Piracicaba, 11 – As mangas peruanas são mundialmente conhecidas por sua forte competitividade no mercado internacional. Apresentando sabor e qualidade de alto padrão, a kent é a principal variedade produzida e exportada pelo Peru, sendo bem aceita por consumidores europeus. Contudo, os pomares peruanos são, quase em sua totalidade, compostos por esta variedade – o que, segundo o portal Fresh Plaza, preocupa mangicultores do país.

Isso porque, nos últimos 20 anos, muitas mudanças climáticas elevaram a temperatura média da região – e, se tratando da kent, as baixas temperaturas são necessárias para que a florada aconteça. À mídia local, produtores afirmam que ainda não se tem domínio das técnicas para a indução floral da variedade, deixando a produtividade à mercê do clima.

Portanto, mangicultores peruanos já estudam novas possibilidades de investimento – as variedades rapoza e manzanillo são fortes candidatas, devido às suas características de coloração e fibras, que se parecem com as da kent. A preocupação com a fisiologia desta variedade também existe no Brasil, uma vez que muitos produtores, principalmente em Petrolina/Juazeiro (PE/BA), investiram em pomares de kent como substituta para a palmer e para a tommy, que são variedades de fisiologia mais conhecida e com técnicas mais dominadas.

Fonte: hfbrasil.org.br e Fresh Plaza

Tags: clima, competitividade internacional, investimentos em manga, manga, manga kent, manga no mercado externo, mangas do peru, produção de manga

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui