19/01/2020 às 23:00

MANGA/CEPEA: Colheita paulista se restringe à palmer

Região enfrenta problemas com a qualidade

Por Felipe Spessotto, Laís Marcomini e Fernanda Geraldini Palmieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MANGA/CEPEA: Colheita paulista se restringe à palmerVer fotos

Piracicaba, 20 – A safra 2019/20 de manga tommy, na região de Monte Alto/Taquaritinga (SP), está praticamente encerrada. Assim, neste começo de ano, a palmer é praticamente a única variedade ofertada pela praça paulista, com previsão de encerramento em meados de fevereiro/março.

Com relação à qualidade, mangicultores paulistas alegaram sérios problemas com antracnose e bacteriose, acentuados pelas chuvas. A principal preocupação é quanto às Xanthomonas, bactéria que ainda é um desafio na região, já que não há tratamento consolidado. O nível de infestação é variado nas propriedades: naquelas em que o nível da doença é tolerável, as frutas têm sido destinadas à industrialização, enquanto naquelas em que a incidência é elevada, as perdas são iminentes.

Este cenário deve impactar negativamente na rentabilidade da região, visto que, além das perdas, a maior participação da indústria deve pressionar a receita de produtores – já que, neste segmento, os preços têm variado de R$ 0,30 a R$ 0,40/kg.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Cepea, clima, manga, manga palmer de SP, manga tommy de SP, oferta de manga de SP, preços de manga, produção de manga, qualidade, rentabilidade

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui