17/08/2021

MAMÃO/CEPEA: Volume exportado é recorde na parcial do ano

Demanda internacional está positiva

Por Wharlhey de Cássia Nunes e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAMÃO/CEPEA: Volume exportado é recorde na parcial do anoVer fotos

Piracicaba, 17 – Aos poucos, o mamão brasileiro tem conquistado espaço na Europa, o que consolidou este mercado como o principal destino nacional e resultou em incrementos significativos no total exportado da fruta.

Na parcial do ano (janeiro a julho), mesmo com alguns entraves logísticos – menos significativos do que no ano passado –, o volume embarcado atingiu 30,3 mil toneladas, sendo a maior quantidade de toda a série histórica da Secex (Secretaria de Comércio Exterior), iniciada em 1997.

A receita gerada, em dólar, alcançou US$ 30 milhões (FOB), a segunda maior da história, ficando apenas 3% atrás do recorde em 2018. Vale destacar que, quando convertido em Real, o cenário é ainda mais animador, devido ao câmbio atrativo.

Para o restante do ano, a expectativa é de que as exportações brasileiras de mamão permaneçam positivas, devido à boa demanda internacional e à retomada de voos comerciais – lembrando que, por conta da covid-19, os aviões cargueiros têm sido mais utilizados, embora não sejam os transportes ideais para esta fruta.

PRINCIPAIS DESTINOS – Na parcial do ano (janeiro a julho), a Europa permaneceu como o principal destino do mamão brasileiro, recebendo 90% do total de envios. Considerando-se os países isoladamente, os destaques são Portugal (com participação de 18%, na mesma comparação), Espanha (com 15%), Holanda (com 14%), Reino Unido (com 14%) e Alemanha (com 12%).

Fonte: hfbrasil.org.br e Secex

Tags: Cepea, desempenho das exportações de mamão em 2021, envios de mamão à Europa, exportações de frutas brasileiras, exportações de mamão, HF Brasil, mercado internacional de mamão

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui