24/06/2020

MAMÃO/CEPEA: Suspensão de voos impacta embarques durante a quarentena

Envios à Alemanha aumentam na parcial de 2020

Por João Victor Pereira e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAMÃO/CEPEA: Suspensão de voos impacta embarques durante a quarentenaVer fotos

Piracicaba, 24 – Apesar da maior oferta brasileira, as exportações de mamão recuaram na parcial deste ano. Entre janeiro e maio, o volume exportado foi de 18 mil toneladas, queda de 8% frente ao mesmo período de 2019, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Já a receita foi de US$ 17 milhões (FOB), valor 19% inferior na mesma comparação.

Essa queda do embarque brasileiro começou em meados de março e se estende até então, em decorrência da suspensão de voos internacionais – como forma de conter a propagação da covid-19 – e do encarecimento do frete de aviões cargueiros, um dos poucos que ainda opera.

Assim, para mitigar problemas, os embarques marítimos foram retomados e cresceram 133% na parcial do ano. Segundo agentes consultados pelo Hortifruti/Cepea, esse aumento dos envios marítimos poderia ser ainda maior se não fossem a alta perecibilidade do mamão e a grande demanda dos portos (com alguns, inclusive, sobrecarregados).

DESTINOS – Na parcial do ano (janeiro a maio), a União Europeia permaneceu como o principal destino do mamão brasileiro, consumindo cerca de 89% das exportações, segundo a Secex. No entanto, o volume embarcado se reduziu, especialmente para Portugal (-23% frente ao mesmo período do ano passado), Itália (-17%), Reino Unido (-16%) e Espanha (-7%). Alguns países ainda tiveram boas compras, é o caso da França (+2%), Holanda (+5%) e, principalmente, Alemanha (+19).

PREVISÃO – Para o inverno, espera-se que o volume de mamão brasileiro exportado se mantenha limitado, por conta das restrições do espaço aéreo, da menor oferta nacional (as baixas temperaturas estão atrasando a maturação) e da maior colheita de frutas europeias durante o verão do hemisfério Norte (que estarão com preços mais competitivos).

Vale ressaltar ainda que a maior amplitude térmica, característica do inverno, juntamente com o clima mais seco e a maior pressão de ácaros nas regiões produtoras, podem aumentar a incidência de manchas fisiológicas no mamão, diminuindo a quantidade de frutas com padrão adequado para exportação.

Fonte: hfbrasil.org.br e Secex

Tags: Cepea, covid-19, envios de mamão à União Europeia, exportação de mamão é afetada, exportações de mamão, mamão, mercado internacional, perspectivas, suspensão de voos internacionais

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui