30/10/2020

MAMÃO/CEPEA: Preços seguem recuando diante do fim de mês

Formosa se desvaloriza 23% no Norte do ES e no Sul da BA

Por João Victor Pereira, Wharlhey de Cássia Nunes e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAMÃO/CEPEA: Preços seguem recuando diante do fim de mêsVer fotos

Piracicaba, 30 - Nesta semana (26 a 30/10), o mamão se desvalorizou em todas as regiões produtoras - foi a segunda queda consecutiva no Norte do Espírito Santo e Sul da Bahia. Segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, isso ocorreu devido à baixa procura pela fruta. Essa, por sua vez, se deve às chuvas mais frequentes nos grandes centros consumidores (Sudeste), ao fim de mês (menor poder de compra) e aos feriados muito próximos – Dia do Servidor Público seguido pelo Dia de Finados.

Assim, o formosa, mesmo com oferta ainda restrita, foi comercializado por R$ 1,17/kg na média das praças capixaba e baiana, desvalorização de 23% frente à semana anterior. Já o havaí tipo 12 a 18, que tem uma oferta maior do que o formosa, foi vendido por R$ 0,52/kg nessas regiões, valor 7% inferior na mesma comparação. Outro fator que impactou negativamente nos preços foi a qualidade inferior da fruta. Antes, era a presença de manchas fisiológicas mais severas que incomodava, agora, com as chuvas, produtores relataram amolecimento do fruta e maior incidência de doenças fúngicas, como a pinta-preta. Esse cenário de qualidade, juntamente com as vendas fracas, resultou em alguns descartes nas lavouras.

Para a próxima semana, agentes ainda não esperam um mercado comprador, devido ao feriado logo no início e ao recebimento do salário, que geralmente ocorre no quinto dia útil.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: baixa oferta de formosa, baixa procura, Cepea, desvalorização, fim de mês, HF Brasil, mamão formosa, mamão havaí, preço de mamão, qualidade inferior da fruta

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui