19/03/2021

MAMÃO/CEPEA: Havaí não firma subida de preços e volta a recuar na roça

Mais restrição na circulação impacta na demanda

Por Wharlhey de Cássia Nunes e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAMÃO/CEPEA: Havaí não firma subida de preços e volta a recuar na roçaVer fotos

Piracicaba, 19 - Esta semana (15 a 19/03) se iniciou com bons preços para o mamão havaí nas principais regiões produtoras, diante da oferta restrita. Entretanto, os mesmos foram baixando no passar dos dias, já que a demanda se enfraqueceu por conta das medidas mais rígidas de controle da covid-19 e, também, das suas maiores cotações do que o formosa. Agora, os valores entre as duas variedades estão mais próximos.

No Norte do Espírito Santo, o havaí tipo 12 a 18 foi vendido por R$ 2,39/kg, queda de 22% em relação à semana anterior. Já no Sul da Bahia, o recuo foi de 25% na mesma comparação, sendo cotado a R$ 2,40/kg. Segundo agentes consultados pelo Hortifruti/Cepea, existem incertezas se os preços do mamão havaí voltarão a subir na próxima semana, pois, apesar do baixo volume disponível, o cenário econômico fragilizado e a restrição de funcionamento de atividades importantes (como restaurantes, merendas, hotéis, entre outras) podem continuar impactando no mercado.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Cepea, covid-19, desvalorização, HF Brasil, Norte do Espírito Santo, oferta restrita, preço de mamão havaí, sul da bahia, vendas fracas

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui