27/03/2020

MAMÃO/CEPEA: COVID-19 restringe mercado em meados da semana

Mesmo assim, preço médio do havaí sobe

Por João Victor Pereira e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAMÃO/CEPEA: COVID-19 restringe mercado em meados da semanaVer fotos

Piracicaba, 27 - O mamão havaí voltou a se valorizar nesta semana (23 a 27/03), em decorrência da menor oferta. No Norte do Espírito Santo, a variedade registrou média de R$ 0,76/kg, alta de 43% em relação à semana passada. Vale ressaltar, porém, que houve uma grande dispersão dos preços ao longo do período analisado, muito devido ao mercado enfraquecido com o novo coronavírus no Brasil.

De acordo com agentes, houve boa comercialização até segunda-feira (23), por conta do boom de compras diante da incerteza comercial das próximas semanas com o avanço do coronavírus no Brasil – período no qual, produtores conseguiram vender o havaí por volta de R$ 1,00/kg. Contudo, nos dias posteriores, os pedidos foram reduzindo, pela menor procura da fruta (possivelmente relacionada ao acúmulo de estoques no varejo) e pela dificuldade nos transportes de algumas regiões, já que os caminhoneiros estão cobrando frete de ida e volta do trajeto.

Para a próxima semana, produtores acreditam que o COVID-19 deve continuar trazendo incertezas ao mercado, mas o menor volume de havaí pode assegurar boas cotações.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: baixa oferta, Cepea, coronavírus, HF Brasil, mamão havaí, mercado fraco, Norte do ES, preço de mamão

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui