×
Mamão
Janeiro 25, 2022
MAMÃO/CEPEA: Após recorde de 2021, desempenho das exportações pode ser menor no 1ºsem/22
Apesar de demanda favorável, chuvas devem reduzir volume e qualidade

Por Maíra Pereira Kanegae e Marcela Barbieri

 

MAMÃO/CEPEA: Após recorde de 2021, desempenho das exportações pode ser menor no 1ºsem/22 Ver fotos

Piracicaba, 25 – As exportações brasileiras de mamão bateram recorde no ano passado, sendo registrados os maiores volume e receita, em dólar, da série histórica da Secex (Secretaria de Comércio Exterior). A quantidade enviada no período foi de 50,29 mil toneladas, aumento de 15% frente ao ano anterior. Já a arrecadação totalizou US$ 50,72 milhões (FOB), valor 19% superior, na mesma comparação.

Os bons resultados, segundo agentes consultados pelo Hortifruti/Cepea, são atribuídos à retomada do ritmo do frete aéreo, à boa demanda europeia e ao dólar valorizado frente ao Real – cenário que, juntamente com o mercado interno enfraquecido pela crise da covid-19, resultou no maior interesse de produtores pelas exportações. Os países que mais importaram o mamão brasileiro foram Portugal, Espanha, Holanda, Reino Unido e Alemanha que, juntos, compraram 36,43 mil toneladas, cerca de 72% do total exportado em 2021.

Para 2022, espera-se que a demanda externa siga favorável. No entanto, além da queda na área plantada em 2021 (que, por si só, já restringe a oferta), as chuvas de dezembro/21 e de janeiro/22 causaram grandes perdas de mamão nas regiões produtoras, o que impactará diretamente na quantidade e na qualidade da fruta colhida, sobretudo no primeiro semestre.

 

ATENÇÃO, LEITOR! Você já fez o seu recadastramento para continuar recebendo a revista Hortifruti Brasil na versão impressa? O prazo vai até 31/01/22. Recadastre-se agora via WhatsApp, clicando na imagem ao lado.

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags
Área de Mamão
Cepea
envios de mamão ao exterior
exportações de frutas brasileiras
exportações de mamão
HF Brasil
mamão
oferta de mamão