11/09/2018

MAÇÃ/CEPEA: Participação da Argentina se reduz nas importações

Setor de maçãs passa por crise no país vizinho

Por Lavínia Morais e Letícia Julião
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAÇÃ/CEPEA: Participação da Argentina se reduz nas importaçõesVer fotos

Piracicaba, 11 – As importações brasileiras de maçãs frescas da Argentina se reduziram em agosto, perdendo ainda mais espaço para as frutas chilenas. De acordo com dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior), as compras somaram cerca de 8,5 mil toneladas no mês passado, com origem apenas do Chile e da Argentina – detendo 76% e 24% do total, respectivamente.

Assim, em relação a julho, as compras da Argentina registraram redução de 17%, enquanto as do Chile aumentaram em 35%. Embora a proporção das compras seja diferente entre os países, a média de preços da maçã red chilena foi de R$ 103,75/cx de 19 kg em agosto, valor semelhante ao preço da red argentina, de R$ 102,50/cx de 19 kg na Ceagesp.

Neste cenário, destaca-se a dificuldade que o setor de maçãs e peras tem enfrentado no país vizinho: as frutas estão desvalorizadas nos mercados nacional e internacional e os produtores argentinos têm dificuldades de recuperação, por conta de antigas dívidas. Ainda, de acordo com notícia veiculada pelo portal Fresh Plaza, agentes têm ameaçado protestar caso o governo não prorrogue, neste mês, as medidas de apoio estabelecidas em 2017 – o que poderia afetar (ainda mais) a rentabilidade do setor.

Fonte: hfbrasil.org.br e Secex

Tags: importações de maçã, Maçã, maçã argentina, maçã chilena, mercado internacional

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui