30/10/2018

MAÇÃ/CEPEA: Dólar é fator decisivo para balança comercial

Cenário econômico incerto no BR tem influenciado a alta do dólar

Por Lavínia Morais e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAÇÃ/CEPEA: Dólar é fator decisivo para balança comercialVer fotos

Piracicaba, 30 – O cenário econômico incerto no Brasil, que tem influenciado a alta do dólar, pode impactar a balança comercial de maçãs nos próximos meses – que era positiva até agosto, em US$ 11,2 milhões, segundo a Secex (Secretaria de Comércio Exterior). Entre janeiro e agosto deste ano, as aquisições da fruta estrangeira somaram US$ 41 milhões, valor 4% inferior ao do mesmo período de 2017, ainda conforme a Secex.

Esse cenário pode estar atrelado ao menor volume de compras registrado entre janeiro e abril – a partir de maio, o mensal importado já ultrapassava o do mesmo período do ano passado. No entanto, essa tendência contínua de alta da quantidade importada pode mudar entre outubro e dezembro, por conta da desvalorização do Real, que torna a maçã importada menos competitiva no mercado interno, favorecendo a fruta nacional.

Os embarques da maçã brasileira, por sua vez, tiveram efeito positivo no saldo da balança comercial na parcial do ano (janeiro a agosto), somando US$ 52 milhões, 25% superior ao do mesmo período de 2017. A partir de setembro, porém, os gastos com as importações de maçã devem superar a receita obtida com as vendas da fruta ao exterior, devido ao fim da temporada de embarques.

Fonte: hfbrasil.org.br e Secex

Tags: balança comercial de maçã, Cepea, dólar, exportações de maçã, Hortifruti Brasil, importações de maçã, Maçã, mercado internacional, secex

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui