24/07/2020

MAÇÃ/CEPEA: Comercialização se desaquece com altos preços

Valores têm desagradado os clientes atacadistas

Por Ana Raquel Mendes e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAÇÃ/CEPEA: Comercialização se desaquece com altos preçosVer fotos

Piracicaba, 24 - O movimento de leve recuo no comércio de maçãs, observado na semana passada, voltou a se repetir nesta (20 a 24/07). Isso porque os altos preços praticados pelas classificadoras têm desagradado os clientes atacadistas. Além disso, a proximidade do fim do mês é outro fator que também contribuiu para o cenário, uma vez que neste período o consumidor costuma ter um poder de compra mais limitado e acaba optando por frutas mais em conta.

Agentes relataram que a maior dificuldade de escoamento foi observada para as maçãs graúdas Cat 1 (até o calibre 120), que são as que possuem as cotações mais elevadas. No entanto, a oferta limitada desse perfil assegurou os bons preços, apesar das menores vendas. Assim, na média das regiões classificadoras, a gala calibre 110 Cat 1 foi vendida a R$ 100,82/cx de 18 kg, manutenção frente à semana passada.

Para a próxima semana, a expectativa é de que a demanda pelas maçãs, principalmente as mais caras, siga cautelosa por ser fim de mês, o que pode fazer com que as classificadoras trabalhem com mais descontos, de acordo com seus estoques. 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: altos preços, baixa oferta, Cepea, HF Brasil, leve recuo no comércio, maçã gala, maçãs graúdas Cat 1, opção por frutas mais em conta, preço de maçã, proximidade do fim do mês, regiões classificadoras

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui