03/07/2020

MAÇÃ/CEPEA: Ciclone passa pelo Sul, afetando o setor

Classificadoras têm atividade interrompida

Por Ana Raquel Mendes e Marcela Barbieri
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
MAÇÃ/CEPEA: Ciclone passa pelo Sul, afetando o setorVer fotos

Piracicaba, 03 – Entre segunda e terça-feira (29 e 30), o encontro de massas de ar quente ao Norte e fria ao Sul, somado à perturbação dos ventos e ao deslocamento de uma área de baixa pressão, resultou na formação de um ciclone extratropical no Sul do País, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Esse fenômeno, apesar de ser comum, geralmente toma maiores proporções sobre o oceano, diferente do que aconteceu nesta semana, já que se aprofundou no continente, provocando fortes ventos, chuvas e quedas de granizo principalmente nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Como resultado, casas foram destelhadas, árvores arrancadas do chão, postes de energia elétrica derrubados, redes telefônicas e abastecimento de água comprometidos, e até mortes.

Diante deste cenário, o setor de maçã também foi afetado. Agentes relataram que algumas classificadoras tiveram suas atividades interrompidas, em decorrência da falta de energia, e reduziram as equipes de trabalho, uma vez que liberaram os funcionários que tiveram suas residências atingidas. Na região de Vacaria (RS), empresas chegaram a ficar até três dias sem eletricidade, comprometendo as atividades de classificação e comercialização.

Quanto aos pomares de maçã do Sul, ainda não foi possível mensurar os danos e suas proporções, mas alguns produtores relataram a ocorrência de granizo e ventanias, que comprometeram algumas macieiras e telas antigranizo. Vale apontar que os pomares estão em período de dormência neste momento. Assim, apenas algumas podas têm sido realizadas, mas, felizmente, nenhum trabalhador que estava no campo foi atingido pelo temporal.

PREÇOS – Nesta semana (29/06 a 03/07), os preços da maçã voltaram a subir nas regiões classificadoras, em decorrência do menor estoque, que já vinha sendo observado em semanas anteriores, da classificação reduzida. Assim, na média das regiões, a gala calibre 165 Cat 1 foi comercializada a R$ 81,55/cx de 18 kg, alta de 14% frente à semana passada - sua oitava semana consecutiva de valorização!

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: atividade interrompida das classificadoras, Cepea, ciclone extratropical, demanda firme, HF Brasil, maçã gala, preço de maçã, preço sobe, Sul

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui