28/04/2020

HORTIFRUTI/CEPEA: Quiabo - das roças para a alta gastronomia

Entenda porquê o produto se transformou em um dos favoritos dos "gourmets"

Por Hortifruti Brasil
Em parceria com
Syngenta
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
HORTIFRUTI/CEPEA: Quiabo - das roças para a alta gastronomiaVer fotos

Piracicaba, 28 – O baixo investimento inicial, a elevada produtividade e a rusticidade tornam o quiabo uma cultura de fáceis implantação e manejo. De 2015 a 2019, o preço médio do produto tem sido crescente, alcançando, em 2019, média de R$ 3,46/kg nas Ceasas nacionais, segundo dados do ProHort (Programa de Modernização do Mercado Hortifrutigranjeiro).

O quiabo, ingrediente já conhecido em pratos da culinária brasileira (como o "frango com quiabo", de Minas Gerais), agora também se torna o protagonista em receitas da alta gastronomia. Por estes e outros motivos, o produto está entre os pequenos mercados analisados na edição de abril da revista Hortifruti Brasil.

Mas, produzir quiabo também tem seus desafios: a colheita está entre as maiores dificuldades da cultura, devido à necessidade de ser manual, com a utilização de luvas, para evitar irritação da pele, e de tesoura de poda, para um melhor acabamento. E, apesar de atualmente estar na "moda" na alta gastronomia, o produto ainda não é tão valorizado na produção.

Porém, as oportunidades ao mercado de quiabo não se limitam à gastronomia. Confira outros atrativos desta produção na edição de abril da revista Hortifruti Brasil, clicando aqui.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: Cepea, desafios na produção de quiabo, Hortifruti Brasil, mercado de quiabo, oportunidades na produção de quiabo, pequenos mercados, produção de quiabo, quiabo

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui