06/12/2018

HORTIFRUTI/CEPEA: Limões e limas são competitivos desde 2005

Confira os principais motivos para o ganho de competitividade das variedades

Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
HORTIFRUTI/CEPEA: Limões e limas são competitivos desde 2005Ver fotos

Piracicaba, 06 – O volume de limões e limas destinado ao mercado externo ainda é baixo perto da produção nacional. A quantidade embarcada em 2016, por exemplo, correspondeu a apenas 8% do total colhido pelo Brasil, considerando-se os dados da Secex e do IBGE. O País produz e embarca basicamente a lima ácida tahiti, sendo São Paulo, Bahia e Minas Gerais os principais estados produtores e exportadores da fruta.

O índice de competitividade, analisado na edição de novembro da Hortifruti Brasil, mostra que houve ganho nas exportações de limões e limas. Até 2004, o País era considerado pouco competitivo no exterior, mas a partir daquele ano, passou a ganhar mais espaço.

Em alguns períodos específicos, como em 2014, a menor produção em importantes países, como México e Argentina, também refletiu positivamente na competitividade brasileira. Confira, abaixo, os principais motivos para o ganho de competitividade da fruta:

Para conferir o conteúdo completo, acesse a edição de novembro da Revista Hortifruti Brasil, clicando aqui.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: análise de competitividade, Cepea, competitividade internacional, exportações de frutas, Hortifruti Brasil, limões e limas, mercado internacional, terceira fruta mais competitiva do Brasil

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui