26/02/2019

CENOURA/CEPEA: Chuvas em excesso afetam oferta nacional

Bifurcação das raízes está entre as principais doenças relatadas

Por Eduarda Pinheiro e Marina Marangon
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
CENOURA/CEPEA: Chuvas em excesso afetam oferta nacionalVer fotos

Piracicaba, 26 – O clima chuvoso vem limitando a oferta de cenouras desde o início da safra de verão, principalmente nas praças de São Gotardo (MG) e Marilândia do Sul (PR). Em meados de fevereiro, porém, a região de Caxias do Sul (PR) também começou a ser afetada por chuvas excessivas.

O elevado volume pluviométrico eleva a incidência de doenças nas lavouras e reduz a disponibilidade de cenouras no mercado, contribuindo para preços mais altos. E, além das precipitações, as temperaturas elevadas também afetam a produção.

Colaboradores do Hortifruti/Cepea afirmam que parte das raízes apresenta problemas como mela e pinta. Porém, a incidência de bifurcação nas cenouras é a principal causa do grande volume descartado nas lavouras. Essa anomalia é acarretada por nematoides, mas as altas temperaturas também podem ocasionar a desordem fisiológica.

Diante deste cenário, o volume ficou reduzido e as cotações, elevadas: na parcial de fevereiro (1° a 22/02), a caixa de 29 kg de "suja" foi vendida à média de R$ 33,32, valor 66,7% superior ao do mesmo período da temporada passada.

A previsão para os próximos dias (27/02 a 08/03) é de que as chuvas permaneçam constantes nas regiões produtoras: são esperados 160 mm de chuva em São Gotardo (MG), enquanto para Marilândia do Sul (PR) e Caxias do Sul (RS), os acumulados podem ser de 125 mm e 87 mm, respectivamente. Com isso, as cotações da cenoura podem se manter elevadas.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: bifurcação nas cenouras, cenoura, Cepea, chuvas elevam doenças, clima, cotações de cenoura, oferta, preço, produção de cenoura, qualidade

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui