08/01/2021

CEBOLA/CEPEA: Menor volume nacional aumenta cotações no Sul

Pedidos do Nordeste por mercadorias do Sul se intensificaram

Por Ana Clara Oliveira e Marina Marangon
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
CEBOLA/CEPEA: Menor volume nacional aumenta cotações no SulVer fotos

Piracicaba, 08 - A menor oferta nacional de cebola elevou as cotações nesta semana (04 a 08/01) e intensificou os pedidos do Nordeste por mercadorias do Sul. Em Ituporanga (SC), Lebon Régis (SC) e São José do Norte (RS) os preços ao produtor marcaram a média de, respectivamente, R$ 1,92 (+31,51%), R$ 1,93, e R$ 1,81/kg (+31,82%). Em Guarapuava (PR), a caixa 3 beneficiada fechou a R$ 39,70/sc de 20 kg (+11,52%).

As condições climáticas nesta safra 2020/21, como granizo e estiagem, afetaram a plantação no período de cultivo e resultaram em grande variação na sanidade e no preço das cebolas, registrando mínimo de R$ 1,50 e máximo de R$ 2,00/kg ao produtor em São José do Norte, por exemplo. Nesta região gaúcha, a colheita está prevista para ser finalizada no final de janeiro. Durante a semana, chuvas em Guarapuava e em algumas lavouras prejudicaram a retirada dos bulbos - contribuindo para a elevação das cotações.

Em Ituporanga, a colheita está praticamente encerrada e, as cebolas, armazenadas nos galpões, o que reduz a interferência das condições climáticas na oferta da hortaliça. Lebon Régis iniciou a comercialização, que será intensificada na segunda quinzena de janeiro. A mercadoria que está sendo colhida nesta praça catarinense apresenta qualidade satisfatória, porém com maior quantidade de cebolas de menor calibre, devido à estiagem no período de plantio. Com o protagonismo das praças do Sul, a expectativa é que os preços continuem em tendência de alta.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: cotação da cebola, preço da cebola, produção de cebola, produtividade da cebola

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui