10/09/2021

BATATA/CEPEA: Paralisação nas rodovias dificulta envio de tubérculos nos atacados

Centrais carioca e mineira têm maior dificuldade no recebimento de batata

Por Júlia Peron Baroni, Luana Chiminasso e João Paulo B. Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BATATA/CEPEA: Paralisação nas rodovias dificulta envio de tubérculos nos atacadosVer fotos

Piracicaba, 10 - Entre os dias 06 e 10/09, os valores médios da batata tipo ágata especial/saca de 50 kg ficaram em R$ 116,70 (+3,7%) no atacado de São Paulo (SP), em R$ 138,40 (+20,8%) no Rio de Janeiro (RJ) e em R$ 141,70 (+36,7%) em Belo Horizonte (MG). A expectativa de aumento nos preços para setembro se concretizou já a partir na segunda-feira (06), dado que desde a semana passada os produtores passaram a registrar produtividades bem mais baixas nas lavouras colhidas, que sofreram forte impacto com as geadas de julho. Nos dias posteriores, os preços aumentaram ainda mais por conta da paralisação de caminhoneiros nas principais rodovias do País, dificultando a chegada dos tubérculos em diversos atacados, principalmente do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os mercados de São Paulo não tiveram uma alta significativa devido à grande quantidade de sobras de batatas de um dia para o outro e melhor fluxo das rodovias. Para a próxima semana, o mercado irá depender de como seguirá a paralisação nas rodovias, as quais podem cessar.

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: alta, atacado, batata, caminhoes, caminhoneiros, Ceagesp, ceasa, colheita, cotação, desaceleração, entrepostos, expectativa, fluxo, geadas, julho, mercado, Minas Gerais, oferta, paralisação, preço, produção, produtividade, rio de janeiro, rodovias, São Paulo, setembro, tubérculo, valor, valorização

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui