01/11/2019

BATATA/CEPEA: Outubro encerra com os melhores preços dos últimos 3 anos

Cotações recuam em outubro, frente a setembro

Por Luana Guerreiro, Lenise A. Molena e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BATATA/CEPEA: Outubro encerra com os melhores preços dos últimos 3 anosVer fotos

Piracicaba, 01 - A exemplo do que vem ocorrendo desde o início da safra de inverno, em julho, outubro foi mais um mês com um dos melhores preços de batata para o mês. Desde 2000, início do levantamento de preços realizado pelo Hortifruti/Cepea, somente em 2001, 2004, 2007, 2009, 2012 e 2016 os preços em outubro foram maiores do que em outubro/2019, já considerando a inflação. Em relação à 2018, a cotação é 69% superior, sendo que o principal motivo continua sendo a redução de área cultivada. Apesar disso, e ao contrário do que era esperado, houve uma desvalorização frente à setembro. O preço da batata beneficiada em todas as roças ficou na média de R$ 70,98/sc de 50 kg em outubro, 9% inferior se comparado ao mês anterior. O motivo deste cenário é que as regiões do Sul de Minas, Cerrado Mineiro e Sudoeste Paulista adiaram parte da oferta para outubro, na tentativa de evitar o pico de colheita de Vargem Grande do Sul (SP), o qual ocorre entre agosto e setembro. Além disso, as produtividades atuais estão em patamares elevados, o que, associadas às altas temperaturas, acabaram aumentando o ritmo de colheita, uma vez que as batatas não podem ser mantidas no solo. Alguns problemas de qualidade devido ao calor também foram observados, como escurecimento do tubérculo, o que compromete a os preços.

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: alta, batata, Cerrado de Minas Gerais, cotação, cristalina, deflação, desvalorização, inflação, mercado, preço, solanácea, sudoeste paulista, Sul de Minas Gerais, tubérculo, valor, valorização, vargem grande do sul, variação

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui