14/11/2019

BATATA/CEPEA: Com bastante oferta de baixa qualidade, preços recuam

Problemas na qualidade geram grande amplitude nos preços

Por Luana Guerreiro, Lenise A. Molena, Juliana Acácio Toledo Parede e João Paulo Deleo
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BATATA/CEPEA: Com bastante oferta de baixa qualidade, preços recuamVer fotos

Piracicaba, 14 - Entre os dias 11 e 14/11, a batata padrão ágata especial se desvalorizou: no mercado de Belo Horizonte (MG) a queda foi de 10,23% (R$ 57,41/sc de 50 kg), no Rio de Janeiro (RJ) de 10,27% (R$ 57,11/sc) e em São Paulo (SP) de 7,65% (R$ 68,59/sc). Nas três Ceasas, os valores negociados tiveram grande amplitude: para as batatas de melhor qualidade, os preços foram de R$ 60,00 a R$ 90,00/sc, enquanto que as mais inferiores – batatas amareladas, devido ao calor intenso (como do Sul e Cerrado Mineiro e de Cristalina/GO) ou com problemas de nematoide no Cerrado Mineiro –, foram vendidas por até R$ 30,00/sc. De acordo com colaboradores do Hortifruti/Cepea, os tubérculos de Cristalina estão muito fracos e isso se deve ao final de safra na região, que fechou a semana a R$ 42,56/sc, recuo de 13,65% frente à anterior.

 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: amplitude, batata, calor, cotação, desvalorização, lavouras, oferta, pele, preço, qualidade, sola, temperatura, tubérculo

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui