24/10/2018

BANANA/CEPEA: Equador visa boa competitividade internacional

O que pode impactar, inclusive, no mercado brasileiro

Por Rodolfo Hackmann e Marcela Barbieri
Em parceria com
YARA
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
BANANA/CEPEA: Equador visa boa competitividade internacionalVer fotos

Piracicaba, 24 – No Equador, exportadores e produtores de banana ainda não concordaram com o preço base de comercialização da caixa para 2019. Isso porque, enquanto produtores querem aumentar as cotações, exportadores visam manter os preços baixos para assegurar boa competitividade internacional. Assim, em reunião realizada na sexta-feira passada (12), o Conselho Consultivo do Ministério da Agricultura do Equador não conseguiu definir as cotações a serem aplicadas no próximo ano.

E como isso afetaria o Brasil? Com o preço da banana mais competitivo no Equador, a disputa pelo mercado consumidor pode ser ainda mais acirrada com o Brasil, já que o país equatoriano é o principal exportador da fruta para o Mercosul – inclusive, para a Argentina (importante destino brasileiro). Assim, as exportações brasileiras podem ser limitadas para o país vizinho.

Principais exportadores de banana para a Argentina em 2016

Fonte: OEC (2016)

Além disso, vale relembrar que a qualidade da fruta equatoriana é, muitas vezes, melhor quando comparada à brasileira, visto que a comercialização da banana nacional ainda é feita com caixas de madeira – fator que favorece a fruta do Equador.

Fonte: hfbrasil.org.br e OEC

Tags: banana, banana do Equador, Cepea, competitividade internacional, exportações brasileiras de banana, Hortifruti Brasil, mercado internacional da banana, mercosul

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui