24/04/2020

ALFACE/CEPEA: Roças paulistas têm boa produtividade; preços ainda recuam

Maior volume e demanda retraída tem impacto negativo na rentabilidade do produtor

Por Maria Julia Ramos e Marina Marangon
Compartilhar
+ Mais opções
  • Facebook
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
ALFACE/CEPEA: Roças paulistas têm boa produtividade; preços ainda recuamVer fotos

Piracicaba, 24 - Nesta semana (20 a 24/04), as alfaces apresentaram nova desvalorização nas regiões paulistas de Mogi das Cruzes e Ibiúna (SP). O motivo foi a maior produtividade – devido ao clima favorável para o desenvolvimento dos pés – e ao baixo consumo, como um dos reflexos da situação da pandemia.

Por causa das baixas nas últimas semanas, a mão de obra é cada vez mais reduzida aos produtores maiores; os pequenos seguem com cautela (poucos funcionários param e/ou são de agricultura familiar. Os planos para redução de área da safra de inverno estão cada vez mais intensos, inclusive de produtores menos afetados, que contam com comercialização direta e garantida para supermercados e sacolões.

Quanto à preparação das áreas para o plantio, produtores não pretendem mudar, por enquanto, a quantidade de insumos.  Na região de Ibiúna, a cotação média da crespa foi de R$ 6,55/cx com 20 unidades, queda de 14,94% nesta semana em comparação com a passada. Já em Mogi das Cruzes, a desvalorização da americana foi de 10,27%, com cotação média de R$ 1,28/cx com 12 unidades.

Para maio, o clima (frio e seco) deve continuar favorecendo a produção de folhosas e ainda há incertezas das novas medidas que serão adotadas quanto à redução do distanciamento social, o que pode manter os preços em baixos patamares. 

Fonte: hfbrasil.org.br

Tags: coronavírus alface, cotação da alface, cotação das folhosas, folhosas, preço da alface, preço das folhosas

A reprodução do nosso conteúdo só é permitida com a citação da hfbrasil.org.br como fonte. Para saber mais sobre nossa política de reprodução clique aqui